Justiça determina que Magnamed entregue aparelhos ventiladores pulmonares | TVPAULISTA.com Televisão via Internet

Multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento.   O juiz Walter Godoy dos Santos Junior, da 11ª Vara da Fazenda Pública da Capital, deferiu, na última quinta-feira (30), pedido de tutela de urgência proposto pelo Estado para determinar que uma empresa e...

tjsp, decisão, sentença, condenação, indenização, cobrança, respiradores

Justiça determina que Magnamed entregue aparelhos ventiladores pulmonares

Publicado por: Editor
04/05/2020 11:57 AM
Courtesy Pixabay/Shutterstock
Courtesy Pixabay/Shutterstock

Multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

 

O juiz Walter Godoy dos Santos Junior, da 11ª Vara da Fazenda Pública da Capital, deferiu, na última quinta-feira (30), pedido de tutela de urgência proposto pelo Estado para determinar que uma empresa entregue, no prazo de cinco dias, 20 unidades de aparelho ventilador pulmonar eletrônico. A decisão também determina que a empresa entregue semanalmente 20 unidades do aparelho, conforme estipulado em contrato, até que atinja 200 unidades. Foi fixada multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento da decisão.

 

De acordo com os autos, uma associação civil sem fins lucrativos disponibilizou-se a doar os ventiladores pulmonares ao Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria da Saúde, sem encargo, para auxiliar a rede pública no enfrentamento da pandemia da Covid-19. Para tanto, a empresa ré apresentou uma proposta de aproximadamente R$ 12 milhões para 200 unidades do aparelho. Em data próxima ao prazo do início do cumprimento do contrato, a empresa teria alegado que não poderia entregar os equipamentos. 

 

“Restaram comprovadas, pelo menos em um juízo cognitivo não exauriente, a existencial de obrigações assumidas pela ré perante a coautora de entrega de bens destinados ao Estado de São Paulo. Assim, de rigor, que seja dado cumprimento ao trato firmado entre as partes”, afirmou o magistrado. Ele também destacou a necessidade dos equipamentos no Estado. “O perigo da demora é intuitivo, na medida em que a frustração do cronograma de entrega estabelecido pelas partes pode custar milhares de vidas ao Estado de São Paulo, que é o epicentro da pandemia do Brasil.” 

 

Cabe recurso da decisão.

 

Processo nº 1021623-46.2020.8.26.0053

 

Fonte: Comunicação Social TJSP 

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

REVENDA MODA INFANTIL