Deus não podia estar em todos o lugares por isso criou as mães

Publicado por: Editor
08/05/2022 02:08 PM
Divulgação
Divulgação

Por Natalia Zadvernak (Correspondente do Exército)

 

O sol nasce sobre os túmulos dos meus filhos... Aos poucos enche o coração com o presente. Assustador e sangrento. Tento colocar ar em meus pulmões, mas em vez disso sinto apenas uma dor ardente. Meu corpo está mutilado por mísseis inimigos, marcado por projéteis, marcado com bombas. Mas eu fico. Quando o céu caiu no chão - não se curvou. Quando o metal quente se espalhou pelas veias - não se rendeu. Resistiu…

 

Eu quero chorar, não, não chorar - gritar para que o Universo estremeça, para que em todos os cantos deste planeta minha tristeza possa ser ouvida. Mas eu estou em silêncio. Pranto. Eu tenho tantos deles que seria possível secar nosso Mar Negro e enchê-lo novamente. Mas não derramei uma gota. Palavras. Parece que vale a pena abrir a boca e nascerão milhões de novos significados de amor materno - abrangente, inútil, incondicional... Mas meus lábios estão fechados, enquanto a alma ferida está aberta.

 

Diz-se que Deus não podia manter-se em todos os lugares, então ele criou as mães. E quando não soube mostrar ao mundo o que é heroísmo, criou as Mães Ucranianas. Onde estão os titãs para o meu fardo! O destino preparou provações, tormentos, que serão suficientes para milhares de Gólgotas. No entanto, o sol nascerá novamente amanhã e eu ficarei descalço no orvalho e orarei incessantemente. Por meus filhos e filhas, que confiei às estepes, por meus falcões, que dei ao céu. Não vou chorar ou cair de joelhos - vou seguir em frente, abrindo minhas asas sobre cada guerreiro. Salvar, curar feridas e arrebatar do abismo da guerra.

 

O sol nasce sobre os túmulos dos meus filhos... E continuo a viver. Pelo bem dos outros, pelo bem do amanhã. Porque eu sou a própria vida. Eu sou a Ucrânia. Eu sou uma mãe sofredora.

 

Publicado por ArmyInform

 

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários