Zelenskyy anuncia exercito com um milhão de militares

Publicado por: Editor
12/07/2022 19:35:24
Exibições: 176

Zelenskyy anuncia unidade com “um milhão de homens” e critica exceções às sanções. Papa fala em 3.ª Guerra Mundial


Por Taísa Pagno


O Presidente da Ucrânia pediu aos chefes militares que criem uma força de combate com “um milhão de homens”, equipada com armamento da NATO, para recuperar os territórios no Sul. Ao mesmo tempo, criticou as exceções às sanções contra a Rússia, considerando-as “absolutamente inaceitáveis”.

 

De acordo com a Agencia UkrinForm, a intenção de Volodymyr Zelenskyy foi divulgada pelo ministro da Defesa, Oleksii Reznikov, que está enviando cartas aos outros países explicando as razões “políticas” e o “tipo de armamento” necessário.

 

“O presidente deu ordem ao chefe militar supremo para que sejam elaborados planos. O Estado-Maior das Forças Armadas estáanalisando e depois dirá que para atingir esse objetivo precisamos de xyz”, explicou Reznikov, indicando que foi o ministro britânico da Defesa, Ben Wallace, a “chave” para a mudança na abordagem militar.

 

Embora esteja “satisfeito” com a ajuda que está a receber dos países NATO – “artilharia padrão”, sistemas de lançamento de rockets teleguiados e drones de alta tecnologia -, Reznikov referiu que precisa de “mais, e rapidamente, para salvar a vida dos nossos soldados. Por cada dia de espera perdemos 100 soldados”.

 

“Temos aproximadamente 700 mil nas forças armadas. Se somarmos a guarda nacional, polícia e guardas de fronteira somos cerca de um milhão”, disse Reznikov, que conta também com o treino no Reino Unido de soldados ucranianos e de civis sem experiência militar.

 

Os serviços secretos militares britânicos anunciaram que, nos últimos dias, nem Rússia nem Ucrânia obtiveram “ganhos territoriais”.

 

À BBC, o analista Jack Watling, investigador do Royal United Services Institute, referiu que as palavras de Reznikov são mais um “grito de guerra do que um plano concreto para uma contra-ofensiva”. Já Jonathan Beale, especialista em defesa, afirmou que os “recursos militares ucranianos estão a ser consumidos no Donbass”.

 

Mas não é só a Ucrânia que quer aumentar a força de combate. Um relatório do Ministério da Defesa britânico indicou que a diminuição no número de soldados russos pode estar a forçar Moscovo a recrutar prisioneiros para a Wagner Militar Company, empresa privada de mercenários.

 

Por Planeta ZAP

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários