Russo KamAZ é quase "TUDO!", inclusive SUCATA

Publicado por: Editor
09/09/2022 05:28 PM
Exibições: 172
Ferro velho ucraniano
Ferro velho ucraniano

As Forças Armadas da Ucrânia e as sanções internacionais destroem a cada dia o potencial militar do país agressor. 

 

Sob a avalanche de novos fatos sobre a incessante degradação da economia racista, os propagandistas do Kremlin são cada vez mais, em vez de inventar falsas "vitórias", forçados, como dizem, a recolher água na boca. Recentemente, isso aconteceu com o carro-chefe da indústria automobilística militar, OJSC KamAZ.

 

Este ano, pela primeira vez na última década de estreita cooperação da fábrica de automóveis Kama com o departamento militar russo, não foram divulgados dados sobre os resultados das atividades deste gigante industrial no primeiro semestre de 2022. Como os executivos da KamAZ explicaram aos jornalistas, a empresa espera uma queda na receita com a venda de caminhões com peso bruto de 14 a 40 toneladas devido a uma queda inevitável no volume das exportações e do mercado interno russo. Prevê-se que a taxa anual de declínio atinja os 40 por cento, o que, segundo os responsáveis ​​da empresa, é causado pela falta de peças sobressalentes e componentes. Sanções da UE, Grã-Bretanha, EUA, Austrália, Canadá, Nova Zelândia, etc., que foram introduzidas com o início das operações militares da Federação Russa contra a Ucrânia em 2014, afetaram diretamente não apenas a própria empresa - fabricante de 350 tipos de armas e equipamentos militares no chassi Kama, e sua liderança. O principal acionista da KamAZ, a estatal Rostec (47,1%), também estava sob sanções americanas e britânicas.

 

Como você sabe, após o início da invasão em larga escala dos militares russos na Ucrânia, durante a qual o principal ônus do transporte de apoio das tropas do agressor recaiu precisamente sobre os produtos da gigante automobilística Kama, as sanções internacionais só se intensificaram. Já em março, a direção da empresa foi forçada a anunciar a transição para peças de reposição produzidas nacionalmente, que deveriam substituir as importadas, incluindo motores Cummins (EUA), equipamentos de combustível Bosch e transmissão ZF (Alemanha). A escassez de componentes eletrônicos repetidamente durante o ano causou o tempo de inatividade desta e de outras empresas da indústria automotiva da Federação Russa.

 

- Na verdade, eles têm um grande problema com sanções. O impacto das sanções nos últimos seis meses está se tornando cada vez mais evidente em todas as esferas da vida econômica da Federação Russa. O que quero dizer? Por exemplo, como ex-engenheiro, sei que toda fábrica tem estoque de peças de reposição, componentes, materiais e tudo o que o processo produtivo precisa por pelo menos três meses em armazéns, - comentou em entrevista exclusiva para ArmiyaInform Andriy Klymenko, especialista da Maidan Foreign Affairs Foundation. - Muito mais do que três meses já se passaram, e tudo isso está acabando nos armazéns. Portanto, os russos precisam reorientar toda a sua política de garantir a produção da Europa, dos Estados Unidos da América para a China, que é extremamente cautelosa quanto a isso, e também para outros países da Ásia. Isso também leva tempo. Quase todos os bancos russos estão sob sanções. Você tem que encontrar algumas novas tecnologias bancárias, cadeias bancárias com outros países, para poder pagar por todos esses novos suprimentos.

 

Enquanto isso, os propagandistas do Kremlin, a fim de desviar a atenção da sociedade russa das derrotas esmagadoras na economia e nos campos de batalha contra as Forças Armadas da Ucrânia, tentaram promover o chamado novo, segundo suas alegações, modelo modificado ( aparentemente com componentes russos) do trator blindado da linha "Mustang". Foi apresentado como uma falsa "vitória" no oitavo "fórum" técnico-militar russo "Army-2022" em agosto, em meio à escandalosa ausência do relatório KamAZ. Aqui deve-se notar que, apesar de todos os esforços dos mentirosos de Moscou para salvar, por assim dizer, o rosto da marca, as estatísticas dos veículos militares destruídos dos invasores não os deixaram nenhuma chance. A partir de hoje,

 

Editado por Mike N. com informações da Agencia Armyinform

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários