Revista sugere que corona vírus pode ter saído de laboratório nos EUA

Publicado por: Editor
17/09/2022 03:59 PM
Exibições: 128

A revista científica The Lancet publicou um relatório que sugere que o coronavírus pode ter saído de um laboratório nos Estados Unidos.

 

Um relatório publicado nesta quinta-feira (15/9) pela revista científica The Lancet lança a hipótese de o SARS-CoV-2, o coronavírus causador da covid-19, ter saído de um laboratório nos Estados Unidos da América.

 

O artigo, que será apresentado nesta sexta-feira (16/9), resulta de uma investigação de dois anos realizada por uma comissão criada para identificar lições para o futuro a retirar da pandemia.

 

Tantos os autores do relatório como a revista científica estão a ser altamente criticados. Em comunicado, a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que “há várias omissões e interpretações erróneas importantes”.

 

O relatório considera “possível” que o vírus SARS-CoV-2 tenha tido origens naturais ou que tenha saído de laboratórios biológicos. Embora aponte o Instituto de Virologia de Wuhan como o principal suspeito, salienta que a origem pode ser outra.

 

Os autores do relatório escrevem que “ainda não houve investigadores independentes a investigar” os laboratórios nos Estados Unidos. Além disso, realça que o Instituto norte-americano de Saúde tem “resistido a divulgar detalhes” sobre o trabalho realizado.

 

A comissão responsável pelo relatório é liderada pelo economista Jeffrey Sachs, que já gerou polémica devido às suas opiniões relativamente à pandemia de covid-19.

 

No passado, Sachs já tinha sugerido a hipótese de a pandemia ter tido origem nos EUA. O economista disse estar “bastante convencido” de que o coronavírus “veio de um laboratório norte-americano de biotecnologia, não da natureza”.

 

Especialistas citados pelo The Telegraph disseram que as ações de Sachs ofuscaram grande parte dos estudos e recomendações contidas no relatório de 58 páginas e criticaram o The Lancet por resistir aos pedidos para removê-lo.

 

“Este pode ser um dos momentos mais vergonhosos do Lancet em relação ao seu papel como administrador e líder na comunicação de descobertas cruciais sobre ciência e medicina”, disse Angela Rasmussen, virologista da Vaccine and Infectious Disease Organization, no Canadá, citada pelo jornal britânico.

 

A perita diz-se ainda “bastante chocada com a forma flagrante” com que o relatório ignora as principais evidências sobre as origens da covid-19.

 

“É verdade que temos detalhes para entender na teoria da origem natural, como, por exemplo, as espécies intermediárias que estão envolvidas, mas isso não significa que haja… qualquer base para a especulação leviana de que os laboratórios dos Estados Unidos estão envolvidos”, disse também David Robertson, do Centro de Investigação em Vírus da Universidade de Glasgow, ao Telegraph.

Por  Daniel Costa

Com informações do Planeta ZAP

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários