METÁSTASE CASO PELÉ: Quando um câncer se espalha para outra parte do corpo

Publicado por: Editor
03/01/2023 10:46:35
Exibições: 52
Cortesia Editorial Pixabay/iStock
Cortesia Editorial Pixabay/iStock

Metástase: Quando um câncer se espalha para outra parte do corpo

 

Câncer é uma doença crônica que surge a partir de alterações no DNA das células do corpo, que passam a receber “instruções” erradas para desenvolver as suas atividades. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), surge a partir de mutações genéticas, ou seja: de alterações no DNA da célula.

 

Ainda de acordo com o INCA, o processo de formação do câncer é chamado de carcinogênese ou oncogênese e, em geral, acontece lentamente. Pode levar vários anos para que uma célula maligna prolifere e dê origem a um tumor visível.

 

Os efeitos cumulativos de diferentes agentes carcinogênicos são os responsáveis pelo início, pela promoção e progressão do tumor, bem como pela inibição dos mecanismos de reparo. A carcinogênese é determinada pela exposição a esses agentes causadores da doença e por características individuais (genéticas) que facilitam ou dificultam a instalação do dano celular.

 

Os tumores podem ser benignos ou malignos, sendo que o primeiro possui um crescimento mais lento e de tratamento comumente menos complexo e o segundo, um comportamento mais agressivo caracterizado pela invasão de tecidos adjacentes e/ou à distância, sendo denominados câncer.

 

Como um câncer se espalha?

A metástase acontece quando as células do câncer se desprendem do tumor principal, entram na circulação sanguínea ou linfática e, por meio dela, se disseminam e se alojam em outras partes do corpo, como tecidos e órgãos distantes do local onde a primeira lesão se iniciou, formando novos tumores. Em outras palavras, é possível dizer que a metástase significa que um câncer se espalhou.

 

De acordo com o médico oncologista Gélcio Mendes, em entrevista ao Ministério da Saúde, cada tipo de tumor tem características de localização e comportamento diferentes, então podem produzir metástases em vários órgãos com frequências distintas. Os órgãos mais comumente comprometidos, por exemplo, no câncer de pulmão, são os linfonodos (gânglios linfáticos), o próprio pulmão, a glândula suprarrenal, o fígado, os ossos e o cérebro.

 

No caso do câncer do estômago e do intestino, os linfonodos, o fígado e o peritônio são os principais locais de surgimento de metástase. No câncer de próstata, os gânglios linfáticos e os ossos. Para o câncer de mama, os linfonodos, o fígado, os ossos, o pulmão e o cérebro. Para o câncer da tireoide, o pulmão e os ossos são as localizações mais comuns. Assim, a frequência da metástase varia segundo o tipo de câncer.

 

Fonte: Ministério da Saúde

Imagens de notícias

Categorias:
Tags:

Compartilhar

Vídeos relacionados

Comentários