Líderes do G7 prometem garantir a derrota da Rússia

Publicado por: Editor Feed News
20/05/2023 18:34:51
Exibições: 97
Cortesia Editorial Pixabay/iStock
Cortesia Editorial Pixabay/iStock
Os líderes do G7 prometeram garantir a derrota da Rússia na guerra contra a Ucrânia e apoiar uma paz justa baseada no respeito ao direito internacional.
 
Isso é afirmado na declaração conjunta dos líderes dos "Sete Grandes" países, que eles fizeram na véspera da cúpula em Hiroshima, no Japão.

 

Os países reafirmaram seu compromisso de fornecer apoio financeiro, humanitário, militar e diplomático de que a Ucrânia precisa, "tanto quanto for necessário".

 

“Estamos impondo mais sanções e medidas para aumentar os custos para a Rússia e para aqueles que apóiam seu esforço de guerra. E estamos tomando medidas para apoiar parceiros em todo o mundo enquanto lidam com o sofrimento causado pela guerra da Rússia", disse o comunicado.

 

Os líderes do G7 acrescentam que querem garantir que a Rússia não possa mais usar a energia existente como arma.

 

"A partir de fevereiro de 2022, aprovamos sanções, proibições de importação e outras medidas para reduzir nossa dependência da fonte de energia russa", diz o comunicado.

 

Além disso, os líderes lembraram que em Elmau, na Áustria, concordaram em aprovar limites de preços para o petróleo e derivados russos.

 

"Funciona. A renda da Rússia está diminuindo. Os preços globais de petróleo e gás caíram significativamente e os países ao redor do mundo se beneficiarão disso", enfatizou o G7.

 

Como sabemos, o Japão pretende discutir Ucrânia, China, Coréia do Norte e desarmamento nuclear no início da cúpula do G7. O primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, disse que quer usar o encontro como uma oportunidade para confirmar a solidariedade inabalável dos países do G7 com a Ucrânia em sua oposição à invasão russa .

 

Na véspera, o secretário do Conselho de Segurança Nacional, Oleksiy Danilov, anunciou que o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyi, participará pessoalmente da cúpula "Big Seven" em Hiroshima, no Japão.

 

A propósito, em 18 de maio, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, voou para o Japão para participar da cúpula do G7. 

 

Lembremos que  a Grã-Bretanha pedirá maior apoio à Ucrânia na cúpula do G7 .

 

Com informações da Agência Ucranina PRM

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários