Epidemia viral de “olhos cor-de-rosa” está infectando milhares por dia

Publicado por: Editor Feed News
08/10/2023 12:30:23
Exibições: 131
Cortesia Editorial Flickr
Cortesia Editorial Flickr

Uma epidemia de conjuntivite viral, vulgarmente conhecida como “olho cor-de-rosa”, está atingindo proporções alarmantes em vários países asiáticos, particularmente no Vietname, na Índia e no Paquistão.

 

As autoridades de saúde do sul da Ásia estão há meses a combater este vírus altamente infeccioso, agravado por condições climáticas extremas, como ondas de calor e chuvas intensas.

 

Em setembro, foram impostos encerramentos de emergência em dezenas de milhares de escolas nestas nações para conter a propagação.

 

Segundo o Science Alert, o Punjab, no noroeste da Índia, registou 13.000 novos casos num único dia em setembro, somando mais de 86.000 casos no mês.

 

O Paquistão tem quase 400.000 afetados em todo o país. No Vietname, foram registados 63.000 casos de janeiro a setembro, um aumento de mais de 15% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

 

A forma viral de conjuntivite é particularmente resiliente, com algumas estirpes capazes de sobreviver em superfícies até 30 dias.

 

Segundo Isabelle Jalbert, optometrista e cientista da visão na Universidade de New South Wales, na Austrália, 75% dos casos de conjuntivite viral são causados por um adenovírus. O surto no Paquistão envolve uma forma altamente contagiosa do vírus, realça a optometrista em declarações à Newsweek.

 

Os sintomas da condição incluem olhos vermelhos, dor, pálpebras inchadas e sensibilidade à luz. Uma vez que não há cura, os indivíduos infetados devem esperar que o seu sistema imunitário combata o vírus, geralmente demorando duas semanas ou mais.

 

Durante este período, é essencial ficar em casa para evitar uma maior propagação. Casos graves podem levar a inflamação crónica da córnea do olho e problemas de visão a longo prazo. No Vietname, observaram-se complicações graves em 20% dos casos envolvendo crianças.

 

As medidas preventivas estão limitadas à lavagem regular das mãos e à desinfeção de superfícies.

A epidemia representa um desafio significativo para os sistemas de saúde, especialmente face a fatores ambientais em mudança. Segundo um estudo conduzido em 2023 na China,  a humidade elevada aumenta o risco de conjuntivite, e a poluição do ar também pode ser um fator contribuinte.

 

Numa carta enviada ao editor do Indian Journal of Ophthalmology, em resposta a um surto semelhante na Índia em 2022, um grupo de virologistas e especialistas de saúde pública alertaram para a necessidade de uma maior sensibilização para a doença e para o reforço dos serviços de saúde à distância, especialmente em comunidades rurais e remotas.

 

Os autores da carta aberta realçam que a abordagem despreocupada dos governos e das autoridades de saúde pública tem levado a um elevado encargo socioeconómico e compromete a cobertura universal de saúde.

 

À medida que a epidemia continua a afetar grandes populações, torna-se urgente a necessidade de educação pública sobre os sintomas e medidas preventivas para gerir a crise de forma mais eficaz, salientam os especialistas.

Com informações da Agência Planeta ZAP (PT)

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários