The Economist: A Rússia pode vencer a guerra, se os ocidentais não fazerem mais pela Ucrânia

Publicado por: Feed News
01/12/2023 14:48:30
Exibições: 20
Imagem: Fontes abertas
Imagem: Fontes abertas

Os países europeus não demonstram a sua determinação em apoiar uma Ucrânia próspera, democrática e orientada para o Ocidente. Se isso não for feito, a Rússia continuará a comprar o equipamento e as armas necessárias no exterior e poderá até vencer a guerra.

 

Isto é afirmado no artigo do The Economist.

“As armas são importantes, especialmente a defesa aérea e os mísseis de longo alcance para atingir as linhas de abastecimento russas, e é por isso que é imperativo que a América aprove a última parcela de ajuda”, dizem os jornalistas.

 

A publicação acredita que os arsenais de ambos os lados já estão esgotados, pelo que devem ser feitos mais esforços para aumentar a capacidade dos fabricantes de armas ocidentais, e as sanções devem visar de forma mais eficaz a divisão do regime russo e da elite.

 

"Putin atacará as cidades da Ucrânia e minará a sua sociedade, a fim de impedir a transformação do país numa democracia ocidental. Em resposta, a Europa deveria redobrar os seus esforços para garantir o progresso da Ucrânia, prometendo dinheiro e adesão à UE", sublinha o artigo.

 

Os jornalistas afirmam que o presidente russo, Vladimir Putin, pensa que pode vencer, pelo menos “é o que parece – até agora”.

 

"Ele colocou seu país em pé de guerra e fortaleceu o governo. Ele compra materiais militares no estrangeiro e vira o Sul global contra a América, mina a fé do Ocidente de que a Ucrânia pode e deve emergir da guerra como uma democracia europeia próspera", diz o artigo.

 

Note-se que os parceiros ocidentais poderiam fazer muito mais para desiludir Putin. Se desejarem, os países ocidentais poderão atrair recursos industriais e financeiros superiores aos da Rússia.

 

"O fatalismo, a complacência e uma chocante falta de visão estratégica estão no caminho, especialmente na Europa. Para o seu próprio bem, bem como para o bem da Ucrânia, o Ocidente deve livrar-se urgentemente da sua letargia", sublinha a publicação.

 

É relatado que Putin poderá permanecer no poder durante anos e, se o fizer, ameaçará a guerra como justificação para a repressão interna e o sofrimento do seu próprio povo.

 

"Ele destruiu as perspectivas do seu país ao isolá-lo da Europa. Ao mesmo tempo, a Europa deve planear combater Putin como a principal ameaça a longo prazo à sua segurança", afirma a publicação.

 

A propósito, o comandante das Forças Unidas das Forças Armadas Ucranianas, Serhii Naev, disse que a diminuição do apoio dos aliados ocidentais, enquanto a Federação Russa continua a aumentar a produção de armas, levará ao facto de a guerra poderá novamente ultrapassar as fronteiras do Leste e do Sul da Ucrânia .

 

Recordemos que o Ministro dos Negócios Estrangeiros da Lituânia, Gabrielus Landsbergis, disse que a  Ucrânia será forçada a entrar em negociações com a Rússia se os países ocidentais reduzirem a sua ajuda.

 

Sabe-se que, segundo o Ministro das Finanças, Serhiy Marchenko,  a Ucrânia depende ao máximo da ajuda financeira estrangeira  e, para o próximo ano, o país necessita de 41 mil milhões de dólares.

 

Com informações PRM (UA)

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários