Brasil adota dose única contra HPV para combater câncer de colo de útero

Publicado por: Editor Feed News
02/04/2024 10:51:54
Exibições: 142
Cortesia Editorial Freepik
Cortesia Editorial Freepik

Simplificação do esquema de vacinação contra o HPV para dose única.

 

O processo e ampliar a proteção contra essa infecção, que é a principal causadora do câncer de colo de útero.

 

A ministra compartilhou a novidade em suas redes sociais, destacando os benefícios da nova abordagem. Ela ressaltou que uma única dose da vacina oferecerá proteção vitalícia contra vários tipos de doenças e cânceres associados ao HPV, incluindo o câncer cervical. Além disso, instou os estados e municípios a realizarem uma busca ativa por jovens até 19 anos que ainda não tenham recebido nenhuma dose da vacina.

 

Nísia Trindade também enfatizou os números positivos em relação à vacinação contra o HPV no país. Em 2023, foram administradas 5,6 milhões de doses do imunizante, representando um aumento de 42% em relação ao ano anterior.

 

A decisão de adotar a dose única foi respaldada por estudos científicos e segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A mudança visa facilitar o acesso à vacina e aumentar a proteção da população contra os riscos associados ao HPV.

 

Quanto aos grupos elegíveis para a vacinação, atualmente incluem-se meninos e meninas de 9 a 14 anos, vítimas de abuso sexual de 15 a 45 anos, pessoas vivendo com HIV, transplantados de órgãos sólidos e de medula óssea, além de pacientes oncológicos na faixa etária de 9 a 45 anos.

 

Além da vacinação, o Ministério da Saúde anunciou recentemente a incorporação de um teste inovador para detecção de HPV no Sistema Único de Saúde (SUS). Essa tecnologia permitirá um rastreamento mais preciso do câncer de colo de útero, com testagem molecular a cada cinco anos, em contraste com o exame Papanicolau, que precisa ser realizado a cada três anos.

 

O HPV é considerado a infecção sexualmente transmissível mais comum em todo o mundo e é responsável pelo câncer de colo de útero. No Brasil, estima-se que cerca de 17 mil mulheres sejam diagnosticadas com essa doença anualmente. A nova estratégia de vacinação e o teste inovador representam avanços significativos na prevenção e no combate a essa enfermidade.

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários